sexta-feira, 3 de abril de 2009

Descubra o que existe em comum entre Brasília e a cidade egípcia de Akhetaton


Mais de 3.500 anos separam no tempo as cidades de Brasília e Akhetaton - Cidade do Horizonte do Sol - no Egito.

As duas foram planejadas, têm o formato de pássaro e um lago artificial para amenizar o clima seco.

Há mais de 20 anos, essas e outras semelhanças foram pesquisadas e publicadas pela arqueóloga e egiptóloga Iara Kern.

Em seu livro intitulado De Aknaton a JK, das Pirâmides a Brasília Iara relata o que descobriu em seis anos de estudo.

As cidades que têm traços semelhantes aos de um pássaro em vôo apresentam asas em sentido norte e sul, cortadas por avenidas que se cruzam na direção leste e oeste. Regiões arborizadas e áreas setorizadas também são características comuns.
O faraó Aknaton construiu Akhetaton em 4 anos. Tempo anormal numa época em que se levava de 60 a 80 anos para construir uma pirâmide.
O ex-presidente JK conduziu a construção de Brasília.
Em 3 anos e 10 meses a cidade estava pronta.

Outro ponto curioso é o formato piramidal presente nas formas arquitetônicas da capital brasileira.
Teatro Nacional, Templo da Legião da Boa Vontade (LBV), Ermida Dom Bosco, sede da Companhia de Energia Elétrica de Brasília (CEB), Catedral, Centro de Convenções, colunas dos palácios do Alvorada, Planalto e Supremo Tribunal Federal (STJ) e, para completar, o Memorial JK.

O formato triangular também é marcante em Brasília, assim como no Egito.
Na Praça dos Três Poderes, situa-se o poder Executivo (Palácio do Planalto), Legislativo (Congresso Nacional) e Judiciário (Supremo Tribunal Federal).
A disposição espacial dos três poderes forma um triângulo equilátero e sugere eqüidistância, igualdade e independência dos poderes.
No Eixo Monumental, forma-se outro triângulo ligando o Centro de Convenções, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) e o Palácio do Buriti.
Entre os poderes local e nacional localiza-se a Torre de TV, também em formato triangular.

A letra H, que representa as palavras homem, honra e honestidade; na posição vertical é representada pelo Congresso Nacional e na horizontal pela Rodoviária do Plano Piloto.
Também no Congresso Nacional, as duas semi-esferas, Câmara e Senado, têm vértices que apontam para direções opostas e funcionam, segundo Iara, como captadores de energia.
A união das semi-esferas forma um círculo, símbolo do equilíbrio universal.

Templos religiosos de Brasília como a Catedral e o Templo da Boa Vontade assemelham-se aos egípcios.
As pessoas entram em sentido descendente, por um túnel escuro e encontram a luz no interior das edificações.
As estátuas dos profetas na Catedral e as estátuas dos deuses egípcios na entrada dos templos também apontam a semelhança entre as duas cidades.
No dia 21 de abril, aniversário de Brasília, o sol nasce exatamente no centro no H do Congresso Nacional, e seus raios entram por uma câmara e ilumina o sarcófago de JK.
No antigo Egito, o sol nascia em cima do sarcófago do faraó, no dia do seu aniversário, na Pirâmide de Quéops.

Existe uma triste coincidência sobre a morte dos fundadores das cidades.
Tanto Aknaton quanto JK morreram 16 anos após a inauguração da cidade construída.
O ex-presidente, como os faraós, encontra-se em um sarcófago guardado no Memorial JK.
O memorial é revestido de mármore, como a pirâmide de Quéops, onde encontra-se o corpo do faraó Aknaton.

Hoje Akhetaton está em ruínas e situa-se onde é a cidade de Tell El-Amarna.
NP. Muito se fala sobre a magia que envolve a capital brasileira; fala-se do poder de captação cósmica e mais um amontoado de informações misticas. Todas essas coisas no entanto, nada podem contra a Igreja de Jesus. Inúmeras pessoas que antes criam nessas coisas, hoje superlotam os muitos templos evangélicos, onde libertas, aprendem sobre o Senhor Jesus Cristo, verdadeira Luz e Salvador de todos.


Um comentário:

Thy.. disse...

caramba!! incrivel isso!! vou querer ler este livro!